Águas

As cabeceiras mais distantes dos grandes rios Amazônicos se estendem por 2.500 a 6.800 km da foz do rio Amazonas. A maior parte do debate sobre qual a cabeceira mais distante se concentra em saber qual o rio da bacia do Ucayali é o mais distante da foz do rio Amazonas e qual é a exata localização da foz do rio Amazonas.

Usando modernos Sistemas de Posicionamento Global (GPS), expedições recentes vêm tentando localizar exatamente as cabeceiras do Ucayali no Departamento de Arequipa, ao sul do Departamento de Cuzco, com uma precisão de dezenas de metros. Usualmente a meta de tais expedições é determinar se o rio Amazonas é mais extenso do que o rio Nilo. O problema, entretanto, é que os membros destas expedições não fazem novas medidas de distância das cabeceiras até o Oceano Atlântico. Ao invés disto, eles simplesmente anexam as novas medidas àquelas publicadas anteriormente, mas que não foram necessariamente verificadas de modo independente. Por isto existem inúmeras estimativas do comprimento do rio Amazonas que variam de 6.000 até 7.800 km. Se as estimativas máximas são aceitas se conclui que o Amazonas é, de fato, mais comprido que o Nilo.

A melhor estimativa disponível é que o rio Amazonas tem aproximadamente de 6.500 a 6.800 km de extensão, se a foz for considerada próxima a Bailique a leste dos 50o W. A extensão do Nilo é usualmente estabelecida como sendo 6.650 km. É desnecessário dizer que o debate do “rio mais extenso” irá continuar como um jogo de ping-pong até que ambos os rios sejam medidos exatamente da mesma maneira, ao mesmo tempo e, preferencialmente, pelo mesmo grupo de investigadores que incluam partidários de ambas as opiniões do Nilo ou Amazonas como sendo o rio mais extenso do mundo.

Sul-americanos dividem o rio Amazonas em quatro trechos principais, com dois deles recebendo o nome de “Amazonas”. A partir de suas cabeceiras no Peru, o Amazonas é conhecido como Ucayali, sendo denominado Amazonas descendo o rio ainda no Peru e Colômbia. Depois de entrar em território brasileiro, o Amazonas passa a ser chamado de rio Solimões até sua confluência com o rio Negro, onde então passa a se chamar novamente de Amazonas. As cabeceiras do Amazonas no Ucayali são, rio abaixo, os rios Apurimac, Ene e Tambo. A bacia do Amazonas é a única do mundo que tem três tributários (Purus, Juruá e Madeira) maiores que 3.000 km. O Madeira é o mais longo destes tributários com 3.352 km, mas ainda está em segundo lugar atrás do rio Missouri, que com seus 3.726 km é o mais extenso tributário do mundo. Os mais extensos e meândricos rios na Amazônia – Purus, Juruá e Ucayali – são todos tributários da margem sul do rio Amazonas. Este trio serpenteante é encontrado em uma enorme zona aluvial cujos sedimentos macios permitem a estes tributários modificar seus cursos em meandros através das planícies alagáveis. A extensão do rio Purus, por exemplo, é mais do que o dobro da distância em linha reta calculada de sua foz até as cabeceiras.